14/06/2021

Como montar um aquário plantado - Parte 2/2

 

Fonte parceira: https://escoladeaquario.com.br/

Nesta semana, o Blog da Aquarius Hobby vai finalizar nosso especial sobre como montar um aquário plantado – parte 2/2. Desta vez, vamos conversar sobre fertilizantes suplementares, manutenção e outros fatores que ajudarão a manter o seu aquário plantado sempre saudável. Caso você não tenha visto a primeira parte deste especial ou queira relembrar nosso papo, basta clicar aqui.

 

4. A importância do CO2

A injeção de CO2 é fundamental para a boa saúde de um aquário plantado, uma vez que as plantas necessitam da troca de carbono em forma de CO2 para se manterem saudáveis em um ambiente fechado. O Carbono é utilizado como fonte primária na fotossíntese para produção de molécula de glicose, que potencializa o crescimento das plantas.

Acontece que tais gases produzidos naturalmente no aquário acabam sendo insuficientes para grande maioria das plantas. Sabemos que algumas plantas conseguem se desenvolver em uma aquário de forma mais simples, todavia, até mesmos essas plantas mais resistentes quando fornecemos uma fonte de CO2 externo, têm seu desenvolvimento mais eficiente e uma aparência mais exuberante.

Essa injeção pode ser feita a partir de forma biológica com misturas adquiridas em lojas especializadas, fórmulas caseiras e por meio de Cilindros com CO2 comprimido.

As 4 principais formas são:

A – CO2 caseiro ou biológico
Esse sistema pode ser feito com diversas receitas encontradas na Internet, mas basicamente todas são o resultado da reação química gerada pela fermentação de bactérias dentro de uma garrafa pet, o gás produzido (CO2) é conduzido para dentro do aquário por uma mangueira que e na ponta da mangueira tem um difusor de CO2 que facilita a absorção na água.

CO2 caseiro

É um sistema bastante econômico, uma vez que grande parte dos equipamentos podem ser adquiridos em casa ou supermercados, porém, também existem limitações e perigos, tais como:

A mistura produz CO2 por pouco tempo, entre 7 e 14 dias, e é necessário estar sempre refazendo a receita. Se não tomar cuidado, pode acabar o CO2 ou entrar espuma da garrafa dentro do aquário.

Não é possível controlar o quanto de CO2 entra no aquário, algumas pessoas colocam um registro para controlar as bolhas, porém isso causa uma pressão dentro da garrafa que pode facilmente explodir, deixando o ambiente com um cheiro não agradável.

Se você colocar num aquário muito pequeno pode gerar muito CO2 e acabar com o Oxigênio, causando a morte dos peixes.

Se colocar em um aquário grande, ele não será suficiente.

Mas calma, para quem está começando no aquapaisagismo também é possível utilizar um CO2 biológico, porém, muito mais seguro. Esse é o Acquafauna Bio CO2. Você encontra em nosso site, só clicar aqui,

Ele é desenvolvido pela Sarlo Better, um empresa brasileira com mais de 35 anos de experiência no mercado de Aquarismo.

Este Sistema de CO2 funciona basicamente como o CO2 engarrafado caseiro, porém ele vem com uma garrafa resistente e já possui os reagentes para fermentação em sachês, o que padroniza a dosagem.

Acquafauna Bio Co2

Ele atende aquário entre 20 e 60 litros, mas já obtivemos bons resultados em aquários maiores.

B – Cilindro com gás comprimido
Este é o melhor sistema para fornecer CO2 para seu aquário, ele é composto pelo Cilindro, válvula de ajuste fino, conta bolhas, válvula anti retorno, mangueira e difusor.

Cilindro de CO2

É encontrado em diversos tamanhos, começando com cilindros de 500ml até 3 litros. A principal diferença é a quantidade de gás armazenado que influencia no tempo de uso direto. Ou seja, quanto maior o Cilindro, mais tempo demora para carregá-lo novamente.

Na Aquarius Hobby você encontra este sistema, é só clicar aqui.

Com este sistema conseguimos controlar exatamente quanto vou injetar de CO2 no aquário, sem contar que podemos acoplar uma válvula solenoide e ligar o CO2 somente quando a iluminação estiver funcionando, pois quando a luz estiver apagada, a planta não absorve o CO2. Além de economizar, também potencializa o uso.

Também vai ter excelente resultado em qualquer tamanho de aquário.

C – Garrafas com CO2 para dosagem manual

Este equipamento vai ser útil principalmente em pequenos aquários e se você está sempre no local onde o aquário está localizado. Ele é composto por uma garrafa de metal (que parece estar vazia.. hehehe) mangueira e um copo condensador.


De 2 a 3 vezes no dia é importante encher o copo condensador com CO2, você irá apertar como se fosse um aerossol, assim que o copo estiver cheio, é só deixar que o CO2 será dissolvido no aquário durante o dia e vai diminuir aos poucos.

Quando diminuir é só completar novamente, esse sistema possui um bom custo benefício para o aquarista iniciante.

Porém, o fator limitante é que você precisa estar no local para que o CO2 funcione e quando acaba é necessário comprar mais garrafas e o custo a longo prazo não é barato, uma vez que elas não são recarregáveis.

D – Pastilhas de CO2
As pastilhas são uma alternativa para quem está iniciando visto que não precisa instalar nenhum equipamento, é só colocar a pastilha dentro do aquário e ela começa a dissolver e liberar CO2.

As desvantagens são que você não consegue controlar o quanto entra de CO2 no aquário, é preciso ter alguém no local para colocar e a longo prazo o investimento não é pouco.

Fazendo uma análise, podemos dizer que a melhor opção é o Cilindro de CO2, porém o valor do kit inicial fica em torno de R$ 800,00 até R$ 1.000,00, mas para quem está começando e não pode fazer um investimento mais elevado, uma boa opção é o Acquafauna Bio CO2, pois seu valor inicial fica em torno de R$ 200,00 e o refil que dura entre 75 e 90 dias fica menos de R$ 30,00.

E para finalizar, uma forma muito simples para saber se você está injetando de CO2 no aquário está dentro do ideal ou não é utilizar um Drop Checker, ou Indicador de CO2.

Ele é composto por um reagente e um tubo transparente (pode ser de vidro ou acrílico) onde o reagente vai ficar armazenado. Este tubo fica dentro do aquário, assim ele consegue medir a concentração de CO2 no Aquário.

Este indicador é importante pois ajuda a acertar a dosagem, se tem pouco CO2 no Sistema, a cor do reagente fica azul, se tem bastante fica mais amarelado e se tem o Ideal a concentração fica verde.

5. Fertilização

Algo muito comum para aquaristas iniciantes é imaginar que apenas o substrato fértil será suficiente para manter a nutrição e desenvolvimento das plantas.

Porém grande parte das plantas precisam de uma maior quantidade de nutrientes e elas absorvem esses nutrientes pelas folhas.

É possível fertilizarmos de 2 formas: líquida e por tabletes.

A – Forma líquida: Hoje em dia existem diversas opções no mercado para fertilizantes Líquidos, mas na grande maioria você irá encontrar os principais elementos:

Carbono orgânico: Possui a função de um leve algicida, evitando a proliferação de algas.
N: Nitrogênio
P: Fósforo
K: Potássio
Ferro
Tudo em um: Micro Nutrientes
Fitohormônios (após a poda)
Elementos Traços

Não podemos esquecer de corrigir sempre o KH e GH e manter em níveis acima de 4o dkh.

Mas calma, não se assuste, imaginando que você precisa comprar todos estes produtos, o segredo é começar aos pouco e assim conforme você vai evoluindo com seu aquário, pode adquirir mais elementos.

lembre-se que uma boa Iluminação e CO2 já devem estar em seu aquário.

É natural que o substrato se desgaste após um certo período. É quando entramos com os fertilizantes suplementares para suprir as necessidades das plantas.

B – Fertilizantes em Tabletes: são enterrados no substrato, geralmente onde há plantas apresentando problemas de desenvolvimento.

Fertilizantes em Tabletes

6. Manutenção com Podas

Todo aquário plantado necessita de podas periódicas, dependendo do crescimento das plantas. As rosetas (echinodorus, blyxa, entre outras) devem ter apenas suas folhas deterioradas cortadas.

Já as plantas de caule mole (rotalas, ludwigias, Hygrophilas e etc) podem ser cortadas em qualquer ponto acima dos nós das folhas. É importante deixar o suficiente para que a planta se recupere após a poda.

No site da ADA (Aqua Desing Amano) eles passam uma sugestão para a poda das plantas, segue abaixo:


Já os musgos e plantas como utricularias podem ser apenas separados para cada esporo gerar uma nova planta.

Além das podas, não podemos esquecer as Trocas Parciais de Água. No início podem ser 3 a 4 vezes na semana e aos poucos pode ir espaçando até chegar a 1 vez na semana.

7. Outros fatores a serem considerados:

Pense no equilíbrio do seu aquário. As plantas precisam de um ambiente confortável para se manterem em harmonia. É preciso alcançar o equilíbrio com injeção de CO2, dosagem correta de nutrientes e iluminação.

É importante saber também que todos os aquários plantados passam pelo chamado “período crítico”. É quando o ambiente se torna propício ao desequilíbrio, podendo levar o aquário ao colapso. Geralmente, esse período ocorre logo no início da montagem.

Esse foi nosso Artigo sobre como montar um Aquário Plantado, na Escola de Aquário, também oferecemos cursos para quem busca aprender mais afundo sobre esse incrível universo. para saber mais, é só enviar um e-mail para: contato@escoladeaquario.com.br ou entrar em nossos grupos de Whatsapp para saber as próximas datas.

Gostou desse conteúdo? Para ver todas notícias do blog, clique aqui.

Carrinho 0
Carrinho vazio